APOIORT não é ecumenismo

Não havia uniformidade na Igreja primitiva, mas havia unidade, nas divergências, Cristo era o diferencial, pelo menos é o que vemos nos atos…”

Grãos diferente, mas todos são grãos
Pr. Elielberth Falcão

                               Muitos me perguntam se a APOIORT é uma instituição que recebe tudo e todos, recebo quase todos os dias e-mails perguntando-me a respeito disso. Estas perguntas estão relacionadas pela forma aberta com que tratamos nossos assuntos administrativos, no entanto, não significa dizer que não temos uma identidade. Somos uma unidade que acredita no processo de restauração, cremos que há uma necessidade de voltarmos para o modelo primitivo da Igreja, porém, nossas ferramentas diferem um pouco das usadas por algumas convenções existentes.

Mistura

            Cremos em todas as doutrinas bíblicas e preservamos alguns costumes que consideramos importantes para ajudar na preservação da boa doutrina, no entanto, a APOIORT, não é uma agência de doutrinas, as Igrejas são soberanas e são elas responsáveis por doutrinar seus membros, usamos apenas de nossa influência para estimular os pastores a não abandonarem os princípios bíblicos contidos nas escrituras e que evitem a secularização das igrejas para não interromperem o projeto de recondução da Igreja ao estado de glória, contudo, não ameaçamos com punições, o diálogo continua sendo nossas armas.

            Tenho uma visão diferente, em minha opinião, não podemos começar a falar de restauração priorizando a Indumentária, no entanto, se começarmos a falar nos atos, nos frutos, nas atitudes de cada um, teremos uma Igreja completa, inclusive nesta questão da indumentária (vestes). O Traje honesto, é bíblico, é patente vermos nas cartas dos apóstolos relatos voltados para esta questão, contudo não é exatamente isso que nos identifica como Igreja, pois não adiante estarmos bem nesta questão de vestes, e não produzimos frutos que nos identifique como servo de Deus neste tempo do fim. Muitos já passaram por aqui, bons de vestes, mas ruins de frutos…!

            Creio que os erros e as diferenças são pedagógico-estimulantes nesta questão do progresso, não podemos fechar a porta para todos os erros, se isso acontecer, não haverá espaço para verdade. É possível sermos diferentes em alguns pontos e mesmo assim, sermos unidos em Cristo. Exemplo: Não vejo problemas em comungar com Igrejas que usam o Pão asmo da ceia introduzindo o elemento azeite e sal na massa, como também entendo a questão do Pão insípido, esta é uma questão histórica, há muita coisa por traz disso! Não há como resolver, é uma questão de profissão de fé, de consciência: “… Bem aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova” (Rm 14.22). Romanos 14 deveria ser a leitura áurea de todos nós ligados nesta obra, Paulo nos da uma lição de ética nesta passagem.

            Não havia uniformidade na Igreja primitiva, mas havia unidade, nas divergências, Cristo era o diferencial, pelo menos é o que vemos nos atos, hoje, cada um tem um Jesus em sua Igreja e este “Jesus” promove divisões por meio de detalhes extra-bíblicos. Na Igreja primitiva, quando havia divergências, todos se reuniam para ouvir o Espírito Santo trazer o veredito (Atos 15 – Atos 13).

Pr. Elielberth Falcão

Um comentário em “APOIORT não é ecumenismo

  • junho 11, 2012 a 8:25 pm
    Permalink

    Pr. Carlos Alberto disse: Quero informar que, o que temos visto, nos tempos atuais, é que o povo que chama pelo Nome Do Senhor, estão tomando posições, de acordo com os seus pensamentos, e não segundo as diretrizes, de Deus. A carta de Paulo a Timóteo, 2:9; mostra o modo dos Santos Do Senhor, se vestirem, porque há, na verdade, uma norma de Deus para o seu povo. Quando o Senhor diz, sai do meio deste povo, povo Meu: Ele esta se apropriando de um povo seu, zeloso, e de boas obras. um médico em São Paulo, escreveu um livro, sobre Biologia (Biotipologia), mostrando, por meio de estudo; que quando o homem olha para uma mulher, que esta com os suas pernas, braços e bustos, descobertos, os seus olhos lança para o celebro, e o mesmo entra em atividade, elevando o desejo sexual. Quando Deus, ordenou a Paulo, através do Espírito Santo, que escrevesse, a Timóteo, Ele sabia o que estava ordenando, porque na casa do Senhor é lugar de homens e mulheres, Santos(separados do mundo); e os seus Santos, não podem andar, sendo alvo de desejos pecaminosos. Sede Santos porque O Senhor Vosso Deus, é Santo. E com respeito as Doutrinas da Religião de Deus, (Teologia), não podemos tirar, nem um tíl, sobre pena de sofrermos as conseqüências, escrita em Apocalipse. A Igreja quando foi levantada, foram colocadas todas, as normas de Deus; seguindo os ensinamentos de Jesus, e do Espírito Santo, aos Apostolo, até a volta do Senhor Jesus. Quem quiser morar com Jesus, siga estas normas, sem QUESTIONAR.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*