Deslizamentos de terra em Angra dos Reis

Nessas horas nos faltam palavras para tentar amenizar a dor, mas gostaríamos de prestar nossa solidariedade e condolências aos parentes das vitimas dessa catástrofe.
Que Deus possa nos abençoar nesses momentos difíceis.
Com pezar, Pastor Elielberth Falcão dos Santos e Todos os Membros da APOIORT.

Divulgação / Globo.com
Divulgação / Globo.com

RIO – O domingo foi de agonia para os parentes de vítimas dos deslizamentos de terra em Angra dos Reis, que passaram o dia em frente ao Instituto Médico-Legal (IML) do Rio à procura de notícias. Desconsolado, Norberto Pires Reis dizia ainda ter esperanças de encontrar a filha, a gerente geral de vendas Fernanda Muraca, de 27 anos, com vida:

– Não consigo dormir, não consigo comer, não tenho mais prazer nenhum em viver. A Fernanda era uma menina especial, de uma bondade imensa.

Fernanda fazia parte de um grupo de 17 amigos de Arujá, São Paulo, que havia alugado uma casa na Praia do Bananal, na Ilha Grande para passar o réveillon. Com o deslizamento de terra, 11 morreram e quatro conseguiram escapar. Fernanda e a dentista Emanuela Neves, de 32 anos, continuam desaparecidas.

No momento do acidente, Fernanda dormia na parte debaixo de um beliche. Seu namorado, Luiz Henrique, que dormia na cama de cima, foi lançado ao mar e sobreviveu. Neste domingo, o rapaz passou o dia sobrevoando a região no helicóptero de um tio, em busca de sinais da namorada e da amiga.

Ex-sogra de Adauto Souza e avó de Rafaela de Souza, de 8 anos, Luxamorim Coely segurava as fotos dos familiares. Sua filha Luciana e Adauto estavam separados há um ano e esta era a primeira vez que a menina viajava com o pai. O outro neto de Luxamorim, Felipe, de 12 anos, estava com as malas prontas, mas desistiu da viagem na última hora.

– Essa dor é muito grande. Assisti à notícia pela TV, em Santos, e não imaginei que fosse com a gente, disse a avó.

Rafaela morreu com um vestido que a avó havia feito para ela.

Dezoito corpos identificados Pelo Instituto Médico-Legal (IML) do Rio passaram os corpos de 18 vítimas da tragédia em Angra dos Reis, todas identificados. No início da tarde, Danilo Reis dos Santos, 24 anos, reconheceu o corpo de sua mãe, Maria Reis dos Santos, 60 anos no IML do Centro do Rio. O anúncio oficial ainda não foi feito pelo IML. O corpo do outro filho de Maria, Marcelo Reis dos Santos, de 30 anos, já havia sido identificado mais cedo. A família morava na Ilha Grande e Maria trabalhava na Pousada Sankay, atingida pelo deslizamento, mas estava em casa no momento do desabamento.Dos 18 corpos identificados, apenas cinco continuam no IML, os das irmãs Gabriela, de 12 anos, e Giovana Ribaski Repetto, de 9 anos – seus pais continuam internados e a família espera que eles recebam alta para participar do sepultamento. A mãe, Claudia Cristina, está na UTI e embora seu estado seja estável, ela está muito deprimida -, o da tia das meninas Ilza Maria Roland, de 50 anos; o de Maria Reis dos Santos, de 60 anos e de seu filho Marcelo Reis dos Santos, de 30 anos.

Fonte: O Globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*