Pastor Wellington Antunes fala sobre a novela “Rebelde”

Pastor Wellington Antunes fala sobre a novela “Rebelde” e explica sobre mensagem subliminar no refrão da música temática da série.

“Como a igreja deve se posicionar nesta esfera, sendo que incoerentemente a emissora que dissimula a mensagem “Rebelde, é sempre assim que deve ser…” tem fama de liderança evangélica?” (clik aqui e leia)

 

“REBELDE, É SEMPRE ASSIM QUE DEVE SER”

            Este é um refrão da música da novela “REBELDE” de uma banda que mistura um estilo pop, pop/rock e romântico, mas a influência deste título “Rebelde”, não trás uma expectativa muito legal e gostaria de discorrer sobre esse assunto.

Pr. Wellington Antunes

            A cada dia que passa se torna mais evidente que precisamos urgentemente nos voltar para as admoestações de Cristo; pois a Igreja nunca se viu como hoje numa esfera de constante sedução para se identificar/conformar com este mundo. Haja vista que, parece-me de propósito, quando os discípulos perguntam a Jesus sobre os sinais do fim, Ele traça logo de ponta a seguinte exortação: “… ninguém vos engane” (Mt 24.4). É óbvio que Satanás (o pai da mentira) seguindo seu instinto enganador, não irá se aproveitar de imagens ou palavras que o denunciem, ao ponto de nos precavermos dele. Quanto mais parecido com a verdade ele ou sua ideia estiver, mais fácil será para nos engodarmos e fisgarmos o seu ardiloso desígnio (2 Co 2.11). Não é vantagem, para ele, mostrar como “mal” o que realmente é mal (verdade), mas sim o “mal” como se fosse “bom” (engano). É uma artimanha antiga. Lembra da Antiga Serpente, que engana todo mundo (Ap 12.9)? É ele mesmo, a técnica e o método são os mesmos (Gn 3.1-7), a maquiagem é que mudou!

            Pois bem, já que compreendemos essa sagacidade do inimigo, fica mais fácil de discernir mais uma de suas táticas: dizer que ser “Rebelde” é bom; ser “Rebelde” é um estilo de vida jovial; é um fato social aceitável nessa fase da juventude, até porque, é só uma fase. Diz subliminarmente o refrão da música Rebelde para sempre: “… Rebelde, é sempre assim que deve ser, meu coração vai ser Rebelde para sempre…”. Para não entrarmos na substantivação do termo, precisamos nos contextualizar com a etimologia da palavra “Rebelde”. Do hebraico “maradh” e do grego “apeithes” esta palavra significa não persuadível, contumaz, desobediente, descrente, indisciplinado, duro, inflexível. A Rebeldia, que é o ato propriamente dito, é comparada nas Escrituras com a Feitiçaria (1 Sm 15.23), pois na mesma intensidade que o feiticeiro desobedece a Deus, o rebelde nega a autoridade Divina. Não é a toa a punição do rebelde ser a mesma dos feiticeiros nos moldes da Antiga Aliança (conf. Dt 21.18-21; Êx 22.18).

            Entretanto, não podemos nos esquivar ao fato de que o incentivo a ser “Rebelde” é um incentivo a um estilo de vida, visto que o “pai da mentira” também é o “pai da rebeldia”. Tendo a rebeldia um progenitor tão influente no lado negro da história será que ser “Rebelde” realmente pode ser visto como algo bom, relevante?

            Temo que essa interpretação suave do que é ser Rebelde se prolifere assim como outras “aceitações” já dissimularam na sociedade, como por exemplo, a “nova perspectiva de família” que tem sugerido revisões e mudanças de caráter jurídico constitucional, conotando que a união de duas pessoas do mesmo sexo também é uma “família” manipulando a convencida sociedade de que isso é normal.

             Temo que sorrateiramente essa ideia de Rebeldia se convencione e tenhamos que suportar jovens na sociedade cada vez mais egocêntricos, individualistas, narcisistas, que simplesmente tocam fogo em um morador de rua, matam seus pais, usam drogas, fazem sexo desorientadamente entre outras espécies de barbáries sem qualquer tipo de coerção à sua consciência, sem limites, sem freio, sem tolerância disciplinar. Como a igreja deve se posicionar nesta esfera, sendo que incoerentemente a emissora que dissimula a mensagem “Rebelde, é sempre assim que deve ser…” tem fama de liderança evangélica?

            Nossos jovens são como flecha na mão do valente (Sl 127.4) e Satanás bem o sabe. No entanto, se em confronto direto, a força do jovem consiste na Palavra (1 Jo 2.14), por que não desarmá-lo distanciando-o das Escrituras, influenciando-o a viver um estilo de vida Rebelde?

Não perca tempo, invista no seu jovem, ensine-o, motive-o, pois nesse caminho, até quando envelhecer, não se desviará dele (Pv 22.6). Não queremos que os nossos jovens não veja nada de mal em ser Rebeldes, mas que tenham discernimento bíblico que importa sim em obedecer a Deus e não viver anarquicamente, pois Salomão dá a dica: “Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.” (Ec 11.9).

Pr. Wellington Antunes é teólogo e estudante de Direitos em Niterói-RJ.

Um comentário em “Pastor Wellington Antunes fala sobre a novela “Rebelde”

  • abril 17, 2012 a 12:33 am
    Permalink

    ótimo artigo,somente os q possuem a mente d cristo enchergam com olhos espirituais conseguem ver a emboscada d satanas por d trás d algo dito “inocente”,q deus continue t abençoando sempre.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*