Unidade em Amor

‘… para que eles sejam perfeitos em unidade.‘ (Jo 17.23)

Divulgação
Divulgação

A tônica da oração de Jesus foi a unidade dos discípulos de ontem e de hoje. Ainda que Ele tenha abordado assuntos como santidade, mundo, missão e fé, no contorno de sua oração Ele demonstra sua vontade maior e propósito principal: ‘Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós’.

Penso firmemente que Jesus está afirmando, peremptoriamente, que sem unidade não há corpo de Cristo, Igreja e Missão. Ele chega a afirmar que o mundo crerá no Evangelho pela constatação da unidade da Igreja. Será que é por isso que muitos não crêem no Evangelho? Por não verem unidade na Igreja?

Apesar de o tema ser vasto em sua profundidade e significância, quero apenas abordar a praticidade desta unidade pela via única de se realizá-la: a via do amor. Já tentou imaginar unidade que não tenha como liga o amor? O amor é a liga e o liame de todas as virtudes que só são virtudes se forem motivadas pelo amor. Caso contrário, serão apenas obras mortas, conforme Tiago. Uma das formas mais visíveis de manifestação da unidade em amor é no servir.

Um Servir Voluntário. Todo serviço em amor tem como característica principal a voluntariedade. Deus não é Deus de exterioridades. É Deus de interioridades. É Deus de intenções autenticas e verdadeiras. E, uma delas é a voluntariedade e espontaneidade. Deus não obriga ninguém a nada. Ele sempre faz o convite e abre a porta. Servir em amor como manifestação de unidade só é possível no espírito voluntário. É assim que aprendo com Jesus, quando falando de sua própria vida assim se expressou: ‘Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou…’

Um Servir Altruísta. Servir é sempre priorização do outro em detrimento de nós mesmos. Sempre, sempre, sempre. O que fugir disso não é servir segundo Jesus, que disse de si mesmo que ‘o Filho do Homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos’. Unidade é serviço ao outro!

Um Servir Autobeneficente. Quem serve faz um bem a si mesmo. Servir liberta a alma. Servir limpa o coração. Servir nos torna menos arrogantes e soberbos. Servir é terapia divina para seres caídos. Foi o que Ele disse através de Isaías: ‘Se abrires a tua lama ao faminto, e fartares a alma aflita: então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia’.

Fomos chamados a unidade em Cristo. Esta unidade manifesta-se no amor e no servir. Se assim não estivermos, precisamos retomar o caminho do qual nos desviamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*