“VOCÊ ESTÁ DANDO FRUTOS?”

“… e vos nomeei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça.” (Jo 15.16)

Frutos

 

Jesus foi enfático e peremptório em dizer que fomos chamados para dar frutos. Isto porque, diferente dos dons que são dádivas da graça de Deus aos não merecedores, os frutos são características de quem somos e do quanto absorvemos do Evangelho em nosso caráter. Portanto, o Evangelho nos capacita com dons da graça com o fim de servirmos melhor à causa do Reino de Deus, ao tempo que nos chama a dar frutos conforme o Evangelho da verdade e a verdade do Evangelho.

Então, a pergunta que devemos nos fazer todos os dias é: Estamos dando o fruto do Espírito? Se o Espírito habita em nós, conforme Paulo afirma em Romanos 8.9 e Gálatas 5.22, daremos fruto. Se há alguma dúvida quanto a isso, atentemos para algumas evidências:

A primeira delas é que todo fruto é visível. Ainda que o fruto seja algo que revele o interior e seja a produção da natureza de uma árvore, sempre será visível. Todos vêem. Não há como esconder. Por isso Jesus disse que esta é a única forma de discernirmos – não julgarmos – as pessoas com quem convivemos: identificando seus frutos (Mt 7.16,20). Só assim faremos diferença entre lobos e ovelhas. Segundo Tiago, não basta ter um belo discurso, é preciso vivê-lo e mostrá-lo diante das pessoas todos os dias (Tg 2.18).

A segunda delas é que todo fruto reflete o caráter da árvore onde crescem. Ou seja: uma macieira só dará maças. Uma bananeira só dará bananas. Um espinheiro só dará espinhos. Não há como mudar esta ordem natural das coisas. Em outras palavras, não há como esconder o que somos por muito tempo. Não há como esconder o que somos de todo mundo. Não há como esconder o que somos todas às vezes. Significando que quanto mais você submete a sua vida a Cristo, mais você se tornará como ele. Este é o grande desafio e proposta do Evangelho: que cheguemos à estatura de Cristo.

A terceira delas é que todo fruto sempre nasce para beneficiar alguém. O destino natural de todo fruto é ser colhido para alimento. Nenhum fruto se autoconsome. O que Jesus afirma no texto supracitado é que somos chamados para frutificarmos em benefício do outro. O bom fruto sempre atrai a fome e a procura de alguém. O Espírito Santo quer produzir frutos em você para que outros possam se alimentar deles e serem nutridos. Isto significa que não somos chamados para o egocentrismo, mas para o altruísmo. Você está dando frutos?

Pastor Adriano Moreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*